Olá concurseiro!

 

Como falamos na semana passada, a dissertação é a grande estrela dos processos seletivos e, por isso, ela é muito trabalhada nos cursos preparatórios para concurso. Contudo, mesmo com as diversas aulas e correções, percebemos que os alunos têm grande dificuldade para desenvolver este gênero. Foi pensando nessa dificuldade e em alguns problemas que aparecem frequentemente nas redações que decidimos parar um pouco para observarmos de modo detalhado a estrutura da dissertação. Para isso, iniciaremos com uma macroanálise dessa estrutura e, nos posts seguintes, abordaremos cada uma das partes que a constituem.

 

Como você já viu e ouviu várias vezes, a dissertação é estruturada em três partes: introdução, desenvolvimento e conclusão. O próprio nome de cada parte indica a sua função: introduzir, desenvolver e concluir. Perceba que, quando transformamos esses três nomes em verbos, fica evidente que escrever uma dissertação é uma tarefa objetiva, bem demarcada. E de fato é isso. Como falamos na semana passada, a dissertação é um gênero avaliativo, logo, ela exige objetividade para que possa desempenhar bem o seu papel.

 

Como as bancas dos concursos públicos não disponibilizam as redações abaixo e acima da média de seus processos seletivos, utilizaremos nesta análise exemplos de redações do Vestibular Unicamp 2009, cujo tema foi O homem e os animais (leia a proposta na página 11 em: http://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/2010/download/comentadas/redacao.pdf).

 

Vamos começar pela redação acima da média nas páginas 6 e 7 em: http://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/2010/download/comentadas/redacao.pdf. Nesta redação, o candidato introduz o tema mostrando que a relação homem-animal pode ser caracterizada por dois extremos e que um de seus pontos mais polêmicos é o uso de animais em experimentação científica (tema da proposta). No desenvolvimento, ele faz um movimento bastante interessante. Primeiro apresenta o cenário em que essa questão se encontra, depois aborda o viés dos grupos de defesa dos animais, apresentando um de seus argumentos para em seguida questioná-lo. Ele concorda que é preciso defender os animais, mas acredita que também é preciso avançar na ciência e, para que isso aconteça, é necessário sim usá-los nos experimentos. No entanto, pondera essa necessidade, abordando a Lei Arouca como um ponto de equilíbrio entre os dois polos, pois ela tem como função controlar esse uso. Por fim, ele conclui a favor deste equilíbrio. Perceba que há um fio condutor no texto e que o candidato adota uma postura conciliadora, concordando ora com um viés ora com outro, sem se contradizer. Pelo contrário, seus argumentos são muito bem fundamentados.

 

Agora vejamos uma redação abaixo da média. Leia a redação A importância dos animais para a ciência na página 9 em: http://www.comvest.unicamp.br/vest_anteriores/2010/download/comentadas/redacao.pdf. Perceba que não é possível identificar as três partes da dissertação. O candidato começa imediatamente a discutir o tema, sem sequer apresentá-lo ao leitor. Ele também não conclui a discussão, fazendo do texto um todo indefinido. Além disso, não há qualquer projeto de texto, pois percebemos que não há uma linha que orienta o leitor de uma ideia a outra, não há progressão, apenas uma justaposição de comentários, tanto que podemos trocar os parágrafos de lugar que não faz diferença.

 

Essa falta de estrutura, como você pode notar, prejudica a fluidez da leitura, pois o leitor não sabe o que irá encontrar pela frente. Lembre-se que nós lemos textos cujos formatos conhecemos. Quando lemos uma história, esperamos que no início nos seja dado um contexto, em seguida o desenrolar dos acontecimentos e, por fim, o clímax. Com a dissertação é a mesma coisa. Quando alguém lê uma dissertação, espera que o tema seja apresentado na introdução, que ele seja ampliado e discutido no desenvolvimento e que seja finalizado na conclusão. Por isso é muito importante conhecer e respeitar essa estrutura. Na próxima semana começaremos a esmiuçá-la, analisando a introdução do texto dissertativo.

 

Bons estudos!

Profa. Danusa

 

Baixe nosso GUIA GRATUITO sobre a estrutura da dissertação!