Olá concurseiro!

Após uma pequena pausa na nossa série, vamos continuar trabalhando em detalhes a estrutura da dissertação. Anteriormente havíamos falado da sua estrutura como um todo e em seguida da introdução. Hoje vamos começar a falar do desenvolvimento, uma parte fundamental do texto dissertativo.

O desenvolvimento é a parte do texto em que você mais deve investir. Isso porque ela é o recheio do texto, é a parte em que você irá esmiuçar com detalhes aquilo que foi anunciado na introdução. Lembre-se: na introdução você apenas apresenta ao leitor o tema e o recorte a partir do qual irá abordá-lo (a sua tese), não há espaço para desenvolver as ideias. É então que partimos para o desenvolvimento.

Para construir o desenvolvimento é fundamental que se tenha claro quais argumentos serão discutidos para comprovar a sua tese, assim como a articulação entre eles. E não basta fazer afirmações sem qualquer fundamentação, é preciso que você explique, justifique, exemplifique, comprove o que você está afirmando. Este é o momento de ser o mais claro possível. É importante expor seu raciocínio para que o leitor compreenda como você chegou à afirmação que fez.

É fundamental também que você traga elementos mais concretos no desenvolvimento, tais como pesquisas, fatos, notícias, exemplos, etc. Dessa maneira, seu argumento será reforçado, pois não é você que está afirmando que x é y, mas é a pesquisa que comprova, o exemplo que mostra, o fato que ilustra, etc. Não economize, o desenvolvimento é a parte do texto que você precisa detalhar, esmiuçar!

Ainda que introdução, desenvolvimento e conclusão estejam conectados, formando o todo da dissertação, elas têm certa independência. Ou seja, é essencial conhecer muito bem a estrutura da dissertação. Chamo atenção para isso porque é muito comum encontrar textos em que os alunos começam o desenvolvimento com elementos que retomam algo que já foi mencionado na introdução, tais como: esse problema, esse aumento, essa questão, etc. O parágrafo logo após a introdução é o início do desenvolvimento, logo, ele deve ter cara de início, com elementos linguísticos que mostrem que você está iniciando a discussão anunciada na introdução. Se for necessário, repita o elemento apresentado na introdução – A questão da maioridade penal tem sido tratada por diversos pontos de vista… – , mas evite pronomes de retomada.

Para que você possa compreender mais claramente a função e importância dessa parte da dissertação, na próxima semana, apresentaremos um exemplo de uma boa elaboração do desenvolvimento em uma redação.

Bons estudos e até a próxima!

Profa. Danusa