Olá, concurseiro

Dando continuidade aos nossos posts sobre questões que auxiliam a construção de um texto mais fluido, objetivo e bem elaborado, vamos falar um pouco sobre problemas que afetam tanto a coesão, discutida na última semana, quanto a coerência textual; trata-se da ambiguidade e da redundância, dois dos principais vícios de linguagem habitualmente encontrados em textos.

 

tree_structureA ambiguidade existe quando falta clareza e, por isso, há duplicidade de sentido, o que comprometerá a compreensão do conceito trabalhado no texto. Pode ser causada por palavras com mais de um sentido, por construção textual imprópria ou ainda por pontuação inadequada. Vejamos alguns exemplos:

Maurício disse ao amigo que sua irmã havia chegado. (A irmã é de Maurício ou do amigo?).

Maurício pegou a caneta do estojo que estava sobre a mesa. (O que estava sobre a mesa: a caneta ou o estojo?).

 

collaborationVeja, concurseiro, como o emprego descuidado dos pronomes possessivos, no caso sua, ou dos relativos, como o que, pode comprometer a interpretação da mensagem? E se o texto em questão é dissertativo-argumentativo, a clareza é fundamental. Portanto, esse tipo de construção ambígua deve ser evitado.

 

A má colocação do adjunto adverbial também pode conferir ambiguidade ao texto. Vejamos:

Crianças que consomem frutas frequentemente são mais sadias. (Elas frequentemente consomem frutas, ou são frequentemente mais sadias?).

 

repeatCom relação à redundância, ela funciona como uma espécie de pleonasmo, já que se trata da repetição desnecessária de informações. Da mesma forma que o texto dissertativo deve ser claro, ele também precisa ser objetivo e persuasivo, o que não é conseguido com repetições exageradas. Ao contrário, essa insistência no mesmo conceito passa ao leitor a impressão de uma argumentação fraca, uma vez que a variedade de dados que se busca encontrar é substituída pela repetição da mesma ideia, apenas. Nesse caso, os argumentos acabam sendo circulares, comprometendo o desenvolvimento e a consistência deles.

 

Mas não existem apenas ideias redundantes. Frases curtas também podem conter esse tipo de construção problemática:

O Brasil exportou para fora menos açúcar este ano. (E como ele poderia exportar para “dentro”?).

Buscaremos outra alternativa para o problema. (Se vamos buscar uma solução diferente, ou seja, uma alternativa, isso já é “outra” ideia a aplicar, diferente da original, não é mesmo?).

 

high_priorityCuidado, concurseiro! Trechos indevidamente repetitivos podem comprometer sua argumentação! Então releia seu texto sempre com muita atenção antes de finalizar a escrita, elaborando a versão final de sua produção textual. E continue praticando a redação, pois esforço e dedicação são essenciais para se obter um texto cada vez mais consistente e livre de inadequações.

 

Bom trabalho e até a próxima!

Profª Aline