Olá concurseiro!

Hoje vamos começar mais uma série de posts, agora para falar um pouco sobre as provas de português no concurso público. Vamos traçar aqui um perfil das principais bancas e analisar duas questões de cada prova para que você possa entender o conhecimento de português que é exigido do candidato, começando pela prova da Vunesp.

Se você já observou diferentes provas de concurso público, pôde perceber que para cada concurso há um formato específico, ou seja, a quantidade de questões pode ser diferente, assim como o peso na nota. No entanto, observamos certos pontos em comum entre as provas, que nos mostram aquilo que a banca valoriza como conhecimento de português.

Na nossa observação dos exames da Vunesp, percebemos algumas características. A primeira delas é que a Vunesp fornece alguns excertos de textos literários e não literários com perguntas relacionadas a eles. Essas perguntas contemplam questões de sentido e de interpretação de texto, bem como de gramática. O interessante de se trabalhar a gramática a partir desses textos é que o candidato pode utilizá-los como um parâmetro de comparação para responder à questão, sem se basear somente na memorização, pois essas formas gramaticais estão contextualizadas.

Porém, a Vunesp também cobra a gramática de outras formas, como por meio de questões com lacunas a serem preenchidas ou ainda perguntando qual a reescrita correta de determinado trecho do texto. Entre os pontos de gramática cobrados, observamos: pontuação, crase, concordância, colocação pronominal, flexão verbal e conjunções. Assim, é importante estudar todos esses pontos para ter um bom resultado na prova, mas se na hora der aquele branco, não se desespere! Leia com atenção a questão e veja se consegue se lembrar daquilo que precisa responder.

Observe dois exemplos que separamos para você:

Leia o texto para responder às questões de números 08 a 13.

Como todas as dependências descritas pela psiquiatria, a digital não é facilmente reconhecida. Mas, da mesma forma que as outras, pode ser diagnosticada a partir de um critério claro. Ela está instalada quando o indivíduo começa a sofrer prejuízos na sua vida pessoal, social ou profissional, por causa do uso excessivo do meio digital. Na vida real, isso significa, por exemplo, brigar com o parceiro/a porque quer ficar on-line mesmo com a insatisfação do companheiro/a ou cair de produção no trabalho porque não se concentra na tarefa que lhe foi delegada.

A gravidade do problema está levando a uma mobilização mundial em busca de soluções. Uma das frentes – a do reconhecimento médico do transtorno – está em franca discussão. Recentemente, a dependência foi um dos temas que envolveram a publicação da nova versão do Manual Diagnóstico de Transtornos Mentais, publicação da Associação Americana de Psiquiatria adotada como guia para o diagnóstico das doenças mentais. Na edição final, o vício, não citado em edições anteriores, foi mencionado como um transtorno em ascensão que exige a realização de mais estudos. Muitos especialistas criticaram o manual porque acreditam já ser o distúrbio uma doença com critérios diagnósticos definidos. (IstoÉ, 02.10.2013)

 

  1. As informações textuais permitem afirmar que existe prejuízo à vida de uma pessoa quando ela

(A) utiliza o meio digital para efetuar pagamentos de suas contas de consumo.

(B) acessa, no ambiente de trabalho, sites de busca para aumentar sua produtividade.

(C) compromete o relacionamento com pessoas próximas para ficar conectada.

(D) envia mensagens ao companheiro, avisando que o trânsito está caótico.

 

  1. No trecho – … ou cair de produção no trabalho porque não se concentra na tarefa que lhe foi delegada. –, as conjunções em destaque expressam, respectivamente, sentido de

(A) alternância e causa.

(B) condição e explicação.

(C) adição e causa.

(D) alternância e consequência.

 

Este é um exemplo em que um trecho de um texto é usado para mais de uma questão. Veja que a questão 9 avalia a interpretação de texto do candidato, pois ela pergunta sobre uma informação que está presente no texto “Ela [a dependência digital] está instalada quando o indivíduo começa a sofrer prejuízos na sua vida pessoal, social ou profissional, por causa do uso excessivo do meio digital.”. Perceba que a questão reescreve a informação, sintetizando-a, e cabe ao candidato reconhecer essa informação no texto.

Já a questão 11 se aproveita de um enunciado do texto para avaliar o conhecimento gramatical do candidato, perguntando sobre o funcionamento de duas conjunções. Observe que mesmo a questão 11 pode ser considerada como dependente de uma interpretação, pois é preciso avaliar qual o funcionamento gramatical de determinada palavra no contexto em que ela aparece, e não em geral, de modo descontextualizado. Podemos observar essa questão nos seguintes versos de Chico Buarque (Eu te amo):

Não, acho que estás te fazendo de tonta

Te dei meus olhos pra tomares conta

Agora conta como hei de partir.

Perceba que a palavra conta nos dois versos tem um funcionamento gramatical diferente. No primeiro caso, temos um substantivo que significa “cuidado”, já no segundo temos o verbo contar conjugado, que significa “dizer”, “relatar”. A palavra conta, em outros contextos, ainda pode significar “uma fatura que pode ser paga” ou “uma operação matemática”. Por isso é tão importante considerar o contexto em que a palavra está aparecendo para analisar sua função gramatical.

Recapitulando… A prova de português da Vunesp traz vários textos-fonte, questionando o candidato principalmente sobre o funcionamento gramatical de certas palavras no texto e sobre o sentido que essas palavras assumem, além de solicitar a interpretação do texto.

Até a próxima e bons estudos!

Profa. Danusa