Olá, concurseiro!

Na semana passada falei um pouco para vocês sobre como é importante conhecer a prova e ler com atenção a proposta de redação para não dar aquele “branco” na hora de escrever. Hoje, vamos dar continuidade à série de posts em que analisamos algumas propostas, com a análise da prova de redação do concurso para o cargo de escriturário do Banco do Brasil, realizada, em 2013, pela Fundação Carlos Chagas (FCC). Vejamos abaixo o que esta proposta pede:

Em uma relação comercial, há sempre duas partes envolvidas: a empresa e o consumidor. O acordo entre os interesses de cada uma dessas partes é um desafio a ser superado quando se quer transformar intenções em realidade.

Considerando o que se afirma acima, redija um texto dissertativo-argumentativo, posicionando-se a respeito do seguinte tema:

Conciliar as necessidades do consumidor aos objetivos da empresa

Como podemos observar, esta é uma proposta bastante objetiva, pois, ao contrário de outras propostas que ampliam as possibilidades de discussão ao sugerirem temas mais genéricos, ela direciona a abordagem que o candidato deve fazer do tema, focalizando uma relação específica: consumidor e empresa.

Ao perceber a objetividade da proposta, você pode destrinchá-la também de forma mais objetiva. Veja, há dois elementos na relação que ela estabelece: necessidades do consumidor x objetivos da empresa. Assim, o primeiro passo pode ser elencar alguns tópicos de cada um dos dois grupos, como mostramos abaixo:

O que podemos pensar como necessidades do cliente?

Recebimento rápido do produto, uma boa relação custo-benefício, produtos de qualidade, atendimento de expectativas no ato da compra, bom atendimento, facilidade para usar o produto, etc.

O que podemos pensar como objetivos da empresa?

Gerar lucro, manter uma boa imagem no mercado, expandir os negócios, realizar um trabalho que corresponda às expectativas do cliente, etc.

Feito este rápido “diagnóstico”, devemos agora observar quais elementos podem ser relacionados de modo interessante, ou seja, quais elementos dessas duas listas nos permitem desenvolver uma boa discussão sobre o tema. Algumas relações possíveis seriam:

  1. Como conciliar a qualidade do produto (necessidade do consumidor) com a geração de lucro (objetivo da empresa)?
  2. Como a realização de um bom serviço/atendimento (necessidade do consumidor) pode contribuir para a criação e manutenção de uma boa imagem da empresa no mercado (objetivos da empresa)?
  3. Como uma boa relação custo-benefício pode beneficiar tanto a empresa quanto o consumidor?

Perceba que, mesmo que a proposta já esteja bem direcionada, ainda é possível encontrar outras relações que “caberiam” dentro desta primeira relação que o enunciado propõe. Assim, é necessário que você faça um recorte para que consiga discutir o que pede a prova, sem correr o risco de fugir do tema.

Depois de fazer este recorte e decidir quais elementos você irá abordar para discutir a relação entre as necessidades do consumidor e os objetivos da empresa, você deve selecionar quais elementos do seu conhecimento de mundo você pode trazer para fundamentar a argumentação, já que a prova não oferece textos que possam apoiar sua discussão. Neste momento, você pode apresentar notícias recentes, alguma pesquisa que você leu, alguma máxima bastante famosa ou um pensamento bastante difundido, leis, acontecimentos, etc.

No entanto, apesar de a proposta não oferecer estes textos de apoio, há duas questões no enunciado motivador que podem te ajudar na definição do foco do seu texto: desafio a ser superado e transformar intenções em realidade. Perceba que elas te dão uma pista do caminho que seu texto pode seguir. Por exemplo, se pensarmos na relação (a), perceberemos que ela constitui um grande desafio, especialmente no Brasil, cuja alta carga tributária contribui para o encarecimento dos produtos, o que pode levar as empresas a diminuírem a qualidade do que produzem para não deixarem de ter lucro.

Veja que iniciar a redação não é um bicho de sete cabeças! É claro que no momento da prova, todos nós ficamos nervosos, o que pode atrapalhar um pouquinho. Mas tente manter a calma e tratar a redação friamente, de maneira objetiva. Afinal, aquela velha história de que é preciso inspiração para escrever ou ainda originalidade não se aplica a todas as situações de escrita. Em uma situação como esta, basta você se lembrar do que aprendeu no seu curso de redação e procurar ser objetivo: isso fará com que você controle o seu tempo e, principalmente, com que você não fuja do tema.

Semana que vem vamos analisar mais uma proposta! Até a próxima!

Profa. Danusa