Olá, concurseiro

Depois de entendermos, no último post, que nem todas as pessoas aprendem da mesma maneira, você já deve ter buscado a sua melhor forma de estudar para aprender melhor, não é mesmo? Contudo, não basta apenas conhecer os conteúdos que serão exigidos nas provas de Língua Portuguesa em um concurso, é preciso também conseguir interpretar as questões, a fim de resolvê-las corretamente. Por isso, hoje traremos algumas dicas sobre como são os exercícios das provas de português elaboradas por algumas das principais bancas do país, como Vunesp, Fundação Carlos Chagas, Cesgranrio, Cespe e Fundação Getúlio Vargas.

 

detectiveComo temos insistido em diversos artigos, diferentes provas têm diferentes perfis, desde seu formato (quantidade de questões e peso) até os conteúdos cobrados do candidato. Portanto, conhecer melhor esses perfis pode ajudar muito você, concurseiro, a obter bons resultados em um processo seletivo. Então, a primeira dica é saiba quem elabora a prova a que você vai se submeter. Em seguida, faça uma pesquisa com o objetivo de encontrar alguns exames de concursos anteriores, compostos pela mesma banca. Feito isso, estude-os. Isso mesmo, estude por provas antigas.

Este exercício fará com que você perceba qual é o estilo da prova e se adapte a ele durante a prática da resolução das questões. Esteja sempre atento, pois a interpretação equivocada de uma determinada pergunta pode fazer com que você perca pontos preciosos. Iremos apresentar neste post um breve olhar sobre provas de Português de algumas das mais importantes bancas.

 

  • Comecemos com a Vunesp. Observando algumas provas elaboradas por essa fundação, é possível notar tanto a exigência da interpretação textual quanto a necessidade de se conhecer variados pontos gramaticais, mas é muito comum que mesmo os exercícios mais específicos tragam trechos retirados de textos, sejam eles literários ou não, o que reafirma a necessidade de se saber ler e interpretar os textos. Normalmente, as questões são de múltipla escolha, com até cinco alternativas, das quais apenas uma é a correta.

 

  • Com relação à FCC, é fundamental dominar a interpretação textual, bem como desenvolver a capacidade de compreender as diferentes relações de sentido, julgando a construção das orações. Muitas vezes, é exigido do candidato avaliar diferentes construções frasais, a fim de que ele perceba se há equivalência de sentido, ou se as alterações apresentadas mudariam também o significado das assertivas. É comum que os exercícios de múltipla escolha possuam cinco alternativas à disposição do candidato, para que ele eleja a única correta.

 

  • Observando exercícios elaborados pela Cesgranrio, eles podem exigir do concurseiro habilidades de interpretação textual ou de domínio gramatical, partindo de diferentes textos, muitas vezes longos. Por isso, esteja atento! Uma boa dica nesses casos é leia primeiro a(s) pergunta(s). Isso facilita o processo de análise e resolução do exercício, pois você lerá o texto já em busca do que é necessário para responder à questão, podendo, inclusive, grifar os trechos mais importantes. Aqui também encontramos normalmente cinco alternativas para que se escolha uma.

 

  • Sobre as provas do Cespe, elas costumam exigir análises de diferentes aspectos dos breves textos apresentados, desde a linguagem, a interpretação até a gramática no geral. Porém, diferentemente de outros processos seletivos, aqueles elaborados pelo Cespe não possuem alternativas para que o candidato escolha uma; existem afirmações que devem ser julgadas como verdadeiras ou falsas, uma a uma.

 

  • Finalmente, considerando as provas da FGV, elas exigem também conhecimentos diversos, tanto em nível linguístico e gramatical, quanto interpretativo, oferecendo ao candidato, frequentemente, cinco diferentes opções de escolha da alternativa correta. A diferença dessa prova para as outras consiste em, habitualmente, haver um único texto que embasa a resolução de todas as questões.

 

ideaA partir dessa breve análise, podemos observar a importância de uma leitura atenta aos textos apresentados na prova para a resolução das questões. Vimos que não basta apenas saber as regras gramaticais, é preciso compreendê-las e saber aplicá-las também, além de saber interpretar um texto.

Depois dessa discussão, que tal começar a praticar a solução de exercícios elaborados pela instituição responsável pela prova do concurso que você vai prestar, concurseiro?

 

Bons estudos e até a próxima!

Profª Aline