Olá, concurseiro

Em nosso último post, falamos sobre a importância de traçar metas e de construir uma rotina de estudos. Apontamos também que é bastante interessante perceber que não estamos sozinhos, mergulhados em livros e cercados pela ansiedade, apesar de muitas vezes parecer que sim. Encontrar outras pessoas que estejam em situação parecida pode trazer certo alívio, não é mesmo? Porém, cuidado! Dialogar é necessário, mas pode nos levar ao extremo inverso, o de achar que as metas e as estratégias de estudo do outro são melhores do que as nossas.

É muito comum encontrar pessoas que se preparam para enfrentar um processo seletivo e acreditam que apenas os outros estudam corretamente; essa é uma falsa impressão. Por isso, vamos hoje falar um pouco sobre como cada pessoa desenvolve seu aprendizado de maneiras diferentes.

 

Primeiramente, é válido identificar como você prefere estudar. É por meio de aulas presenciais ou videoaulas, apreendendo o conteúdo enquanto ouve alguém discorrer sobre ele? É fazendo resumos no papel ou em arquivo no computador, escrevendo o que entendeu de cada matéria? É lendo livros, apostilas e diferentes materiais didáticos, observando o conteúdo escrito? Ou é explicando o ponto em questão para alguém, falando a respeito do assunto? Depois de responder a essas perguntas, você descobrirá de que maneira fixa melhor a matéria, seja pela audição, pela fala, pela escrita ou visualmente. A partir disso, vale investir naquilo que funciona melhor para você.

 

settingsHá pessoas que, ao assistirem aulas e palestras, gravam os conteúdos abordados, inclusive com riqueza de detalhes, lembrando-se de frases e exemplos utilizados. Outras, ao contrário, precisam anotar tudo o que o professor diz para que, posteriormente, possam ler e memorizar, pois as palavras ditas pelo palestrante foram “lançadas ao vento”. Isso é completamente natural, assim como também é normal estudar com ou sem música, em ambiente sóbrio e silencioso, como uma biblioteca, ou em um movimentado café, entre outros. Não importa qual seja o seu caso, o essencial é que você esteja confortável. Estar em um ambiente agradável para você ajuda muito a se concentrar e, por consequência, aprender.

 

treasure_mapPor isso, concurseiro, crie estratégias de estudo! Se você só se lembra do que estudou ao explicar o conteúdo para outra pessoa, por exemplo, grave um áudio. Isso mesmo! Discurse. Posteriormente, você poderá ouvir sua gravação e, assim, estudar mais um pouco.

Mas se você é daqueles que precisam anotar tudo (assim como eu), organize os conteúdos em resumos. Faça tópicos, construa fluxogramas, insira cores diferentes em suas anotações, etc. Longos períodos escritos não favorecem uma retomada rápida do assunto no momento de uma revisão, então tente ser objetivos, destacando o que é primordial.

 

cardsSejam quais forem suas escolhas, elas não são melhores ou piores do que as de outras pessoas, são apenas diferentes. Portanto, não se sinta obrigado a estudar como aquele colega ou vizinho estuda por acreditar que o método adotado por eles seja o correto. Preparar-se bem para enfrentar um concurso é necessário, mas a forma ideal de fazer depende unicamente de você.

E então, qual é a sua melhor estratégia? Que tal descobrir e colocá-la em prática agora mesmo?

 

Bons estudos e até a próxima!

Profª Aline