Olá, pessoal!

Convidamos novamente a Letícia Nobre, do SOS Concurseiro, para escrever sobre como conciliar trabalho e estudo para concursos. Essa é a principal dificuldade da maioria dos concurseiros, uma verdadeira luta contra o tempo. A Letícia é uma expert no assunto e, por isso, será uma grande oportunidade para você aprender a conciliar trabalho e estudo com perfeição.

 

Aqui vai o texto da Letícia:

 

Os concurseiros sabem que trabalhar e estudar para concursos não é tarefa fácil. Alguns até acreditam que só serão aprovados quando “largarem tudo” e ficarem “só estudando”. Não é bem assim. Poderia até dizer que ter mais tempo não é, necessariamente, uma vantagem.

Parece estranho? Pode até ser, mas continue lendo que vou explicar a linha de raciocínio.

O tempo é um dos recursos mais preciosos para quem quer trabalhar para o governo. Porém (sempre há um porém), a quantidade não é sinônimo de qualidade e estudar com eficiência é que, de fato, vale ouro no projeto de ser aprovado em um concurso público.

Não é raro encontrar casos em que o “excesso” de tempo pesa mais contra do que a favor. Até porque, infelizmente, há uma tendência natural do ser humano de procrastinar e fazer corpo mole. Veja como essa característica é parte da cultura brasileira, de deixar tudo para a última hora.

Para concursos – e posso dizer que qualquer outro projeto – esse jeitinho brasileiro não gera bons frutos. Não adianta tentar bancar o esperto. O sucesso é diretamente proporcional à eficiência que só será alcançada se houver planejamento e dedicação.

Aqui preciso fazer um parêntese e explicar os dois conceitos dentro do contexto. Planejamento inclui uma visão realista da jornada até a aprovação, a escolha de um objetivo e a gestão de si mesmo e dos recursos disponíveis, onde entra (veja só), o tempo. Por dedicação, posso dizer que é a execução do plano de ação definido, os passos dados com constância em direção ao objetivo definido, a consciência de que não se pode aceitar e agir diferentemente do que se propôs no planejamento.

Deixando claro esses conceitos, quero derrubar o mito que diz que só se passa em concursos quem “só estuda”. É totalmente possível e viável você continuar trabalhando e estudar para concursos, desde que exista – repito – planejamento e dedicação.

A única real diferença entre quem tem mais ou menos horas livres é o tempo que levará para aprender os conteúdos necessários para as provas. Entretanto, essa variante depende de outros aspectos como a bagagem e a estratégia escolhida, não sendo, portanto, determinante.

Uma última ressalva: não quero, em hipótese alguma, dizer que não é uma boa ideia se dedicar exclusivamente, entretanto, para que esse caminho seja produtivo, são necessárias outras ações específicas. Assunto para outro artigo.

 

 

Bons estudos e contem comigo. 

 

 

Quer um programa completo para a sua preparação nos concursos? Clique aqui e saiba mais!

 

Letícia Nobre é jornalista e coach especializada em concursos. Está no mercado de concursos há mais de 7 anos e é editora-chefe do SOS Concurseiro, site de notícias, coaching e orientação para concursos públicos. Contato: [email protected]