Olá, concurseiro

Em nosso último post, discutimos um pouco como funciona a tão temida prova do CESPE, abordando as características principais referentes às questões e a prova discursiva. Hoje, portanto, vamos apresentar exemplos para que você visualize de fato como a prova funciona.

Observamos na última semana que as questões da prova, diferentemente de outros concursos, são compostas de assertivas que precisam ser julgadas, não é mesmo? A partir disso, cada candidato colocará C para as corretas e E para as erradas, lembrando que cada erro anula um acerto. Vejamos então um exercício proposto na prova de Tecnologista em Desenho Industrial, do INPI, de 2014. Como já dissemos, é comum que as assertivas sejam baseadas em textos:

 

Texto para os itens de 13 a 25

 

Marca é todo sinal distintivo expresso em palavras ou figuras, destinado a atribuir procedência a determinado produto ou serviço, ou ainda a diferenciar determinado produtor ou prestador de serviços de seus concorrentes.

 

Apenas o registro da marca atribuirá ao seu titular o direito de explorá-la comercialmente ou impedir que outros o façam. Nos casos em que a marca for registrada, o uso evidentemente comercial dessa marca, ou seja, com alguma intenção de lucro direto ou indireto, dependerá de autorização de seu titular. Para usos não comerciais — como um recurso educacional, por exemplo —, a marca pode ser citada e estudada sem autorização, pois o objetivo direto não é a obtenção de ganho financeiro. Evidentemente, o nome da marca e o seu logotipo não podem sofrer alterações que firam a sua reputação ou que alterem a sua integridade. Se as mudanças forem feitas apenas para fins de estudo em ambiente de sala de aula, não haverá problema, porém os alunos devem ser orientados a não divulgar esses trabalhos em redes sociais ou em qualquer outro canal público.

 

D. P. Almeida, I. G. Del Monde e P. P. Pinheiro (Coord.). Manual de propriedade intelectual. Versão 2012-2013. Araraquara: UNESP, NEaD, p. 40. Internet: <www.acervodigital.unesp.br> (com adaptações).

 

Selecionamos três itens para analisarmos. Note que, na prova, assertivas de 13 a 25 são retiradas desse texto, portanto, leitura e interpretação são essenciais. Vejamos as afirmativas de 17 a 19:

 

Julgue os itens seguintes, relativos a estruturas linguísticas do texto.

 

“Apenas o registro da marca atribuirá ao seu titular o direito de explorá-la comercialmente ou impedir que outros o façam. Nos casos em que a marca for registrada, […]”

 

17 O pronome “o” em “que outros o façam” (R. 6 e 7) refere-se ao termo “o registro da marca”

Neste caso, ao retomarmos o texto, podemos perceber que esta afirmativa está incorreta (E), visto que o pronome “o” retoma “o direito de explorá-la” e não o registro da marca”.

 

18 Na linha 5, feitos os devidos ajustes de maiúsculas e minúsculas, estariam preservados a correção gramatical e o sentido original do período caso se deslocasse o termo “Apenas” para imediatamente depois da forma verbal “atribuirá”.

Este item 18 também é incorreto, pois “apenas”, na posição em que se encontra, refere-se a registro, mostrando que somente ele dará direitos ao titular. Se fosse colocado após o verbo, o sentido ficaria alterado, afirmando que somente o titular teria tais direitos.

 

19 A substituição de “em que” (R.7) por “o qual” acarretaria erro sintático ao texto.

Este item deve ser julgado como correto, pois realmente, neste caso, “em que” não pode ser substituído por “o qual”, já que se refere a um termo masculino plural, “casos”, além de haver preposição “em”. Caso fosse feita substituição, deveria ser por “nos quais”.

 

Veja, concurseiro, como todos vários conteúdos podem ser abordados a partir de um mesmo texto. Vale, então, estar realmente bem preparado, ler com atenção e praticar. No próximo post, abordaremos um tema de redação para que você também se prepare para ela.

 

Bons estudos e até a próxima!

Profª Aline