Olá, concurseiro

No último post, tecemos considerações a respeito de uma proposta de redação da Vunesp, a fim de entender quais são os passos mais importantes a serem seguidos quando vamos escrever nosso texto. Observamos que, após analisar atentamente a coletânea, é necessário montar o projeto de texto e selecionar argumentos consistentes e persuasivos. Mas afinal, como enriquecer minha argumentação? É aí que a pipoca entra! Hoje vamos descobrir como o cinema pode nos ajudar nessa questão.

 

reading_filledAo construir um texto dissertativo-argumentativo, é fundamental que imaginemos um leitor que não domina o assunto abordado em nossa redação. Dessa forma, entenderemos como é preciso ter objetividade na defesa de nosso ponto de vista, deixando as ideias bem claras e fundamentadas, pois só assim produziremos parágrafos coerentes e realmente convincentes.

Por isso, vale lembrar que cada parágrafo argumentativo deve ser elaborado em torno de uma ideia central, a qual chamamos de tópico frasal, e também da comprovação dessa ideia, seja com exemplos concretos e conhecidos nacionalmente, opiniões de especialistas, pensamentos de filósofos ou sociólogos, dados, pesquisas ou diálogo com as mais diversas áreas do conhecimento. Isso faz parte do tão valorizado repertório sociocultural produtivo, os nossos conhecimentos de mundo.

 

movie_projector_filledContudo, nem sempre sabemos quais informações podemos escolher para fundamentar nossos argumentos, ou mesmo para arquitetar uma boa introdução. Saiba, concurseiro, que filmes podem ajudar muito. Isso mesmo, filmes! Além de você poder comparar o enredo das obras cinematográficas a sua argumentação, a temática dos títulos pode auxiliá-lo a conhecer ou aprofundar seus conhecimentos históricos, literários, entre outros.

Sendo assim, vamos conhecer alguns títulos, que são facilmente encontrados em canais como o Netflix, que serão muito úteis na escrita de sua redação! Primeiramente, pensaremos em filmes históricos e conhecimento de mundo. Duas obras são bastante pertinentes quando se trata dessa temática, o drama brasileiro O ano em que meus pais saíram de férias, de 2006, e A onda, filme alemão de 2008.

 

clapperboard_filledO primeiro título é ambientado na década de 1970 e tem como pano de fundo a Copa do Mundo e a Ditadura Militar no Brasil. O enredo desenrola-se sob o ponto de vista de Mauro, uma criança de 12 anos, que vê seus pais “saírem de férias” inesperadamente, sem data para retornar, e acaba tendo que ficar com o avô por tempo indeterminado. Este, porém, passa por problemas, o que leva o garotinho a ficar sob os cuidados de um vizinho judeu.

Os pais de Mauro, na verdade, haviam fugido, já que eram militantes de esquerda, postura pouco favorável em tempos de ditadura, cerceamento da liberdade de expressão e de pensamento. Assim, acompanhando o inocente olhar pueril, podemos visualizar situações difíceis vividas pelo protagonista, que não entende ao certo o que está acontecendo, mas que encontra no futebol o abrigo necessário para enfrentar o que está por vir. É um ótimo título que, além de chamar a atenção pelo enredo, faz com que reflitamos e conheçamos um pouco mais o que foi a época da Ditadura.

 

film_reelJá o alemão interessante A onda, dirigido por Denis Gansel, é inspirado em romance homônimo, de Todd Strasser, e na experiência social da Terceira Onda, que recriou em sala de aula o ambiente nazifacista da Segunda Guerra Mundial. No filme, o professor Rainer Wenger tenta mostrar a seus alunos como é fácil manipular as massas e, assim, instaurar um regime ditatorial. Para que isso seja comprovado, faz com os alunos sigam uma série de comandos, como tratar o professor por Senhor Wenger, fazer com que todos se sentem enfileirados em suas carteiras de frente para o mestre, posicionados de acordo com as notas obtidas em sala, usem as mesmas vestimentas, entre outras mudanças de postura. O nome “A onda” é conferido ao grupo que, rapidamente, apresenta mudanças de comportamento, incomodando outras turmas da escola.

Incidentes e conflitos marcam o desenrolar do longa-metragem, o que leva o expectador a refletir sobre o comportamento humano, sobre a autarquia e, além disso, sobre os acontecimentos relacionados à Segunda Guerra Mundial. Essas reflexões podem enriquecer consideravelmente uma redação de concurso.

 

E então concurseiro, por que não começar a assistir a essas obras agora mesmo? Prepare já a sua pipoca! 🙂

 

Boa sessão de cinema e até a próxima!

Profª Aline