Olá, concurseiro

 

Quando você está estudando, você se sente sozinho? O que você pensa sobre si mesmo, enquanto estudante para concursos, e como lida com esses pensamentos e com as sensações provocadas por eles? Hoje vamos conversar um pouco sobre quais sentimentos são despertados em nossa jornada de estudos, e como podemos trabalhar com a ansiedade gerada a partir deles.

 

confusedTodos sabemos que o período preparatório em busca da tão sonhada vaga em um concurso não costuma ser breve. Normalmente, o caminho é longo, trabalhoso e, muitas vezes, bastante solitário. Nesse sentido, é comum passarmos horas diante de livros ou mesmo do computador, completamente sozinhos, resolvendo exercícios, lendo as últimas notícias para permanecer atualizados, praticando a escrita, tentando entender alguma fórmula matemática incompreensível ou buscando compreender sua aplicação prática, tentando gravar leis de todos os tipos, entre outras práticas recorrentes, não é mesmo? Essas atividades são realmente muito comuns entre os concurseiros. Contudo, ainda mais corriqueiras do que essas práticas são as sensações inquietantes que assolam esses mesmos estudantes.

 

questionCertamente sabemos que o caminho não é fácil para ninguém, mas por que o nosso parece sempre mais complicado? Sentimos que não temos capacidade para conseguir, que não estamos nos dedicando o suficiente, que não somos tão bem preparados quanto os colegas do cursinho, o vizinho, o amigo do trabalho, o amigo do amigo, o irmão, o primo…Nossa! Quanta gente melhor do que eu! Assim não vou conseguir.

 

weightliftAcalme-se, concurseiro. Sentir-se sozinho e desorientado é mais natural do que você pode imaginar. Em algum momento da caminhada, praticamente todos sentem isso também. Entendeu? Praticamente todos. E saber disso é o primeiro passo para organizar os sentimentos, controlar a ansiedade e dedicar-se ainda mais! Muitas pessoas sentem que são impostores, ou seja, acreditam não merecer o que conquistaram, ou creem que não podem conquistar o que almejam, devido à sua suposta incompetência. Mas isso não é verdade! Essa é apenas uma reação do nosso corpo em vista do cansaço. Todos somos capazes.

Porém, a ansiedade, a solidão ou mesmo essa síndrome do impostor podem fazer com que desistamos ou ao menos que nos desviemos do foco que precisa ser mantido durante o tempo em que nos preparamos para prestar um concurso. Portanto, aqui vão algumas dicas para você não se distanciar de seus objetivos:

 

Organize-se. Saber quanto tempo você tem até o dia da prova é muito importante. A partir disso, trace metas possíveis de cumprir, reservando diariamente um tempinho para os estudos. Coloque no papel todos os seus compromissos diários e defina qual será esse tempo reservado para a sua preparação intelectual. Conforme você for cumprindo suas metas, perceberá como aquele sentimento de desânimo se transforma em satisfação;

 

collaborationConverse com alguém. Os estudos são muitas vezes solitários, mas tente trocar algumas experiências com outra pessoa que esteja em situação semelhante. Quando você perceber que vocês têm mais em comum do que pensam, o fardo fica mais leve de carregar. Talvez vocês possam até estudar juntos às vezes;

 

Não procrastine! “Deixar para depois” é algo muito comum, não é mesmo? Ainda mais se o que vamos fazer não traz prazer imediato. Então, mude a estratégia. Comece seus estudos pelo item mais difícil ou menos agradável para você. A satisfação de ter cumprido aquela etapa indesejada será tão boa que você continuará seus estudos com mais animação. Do contrário, você vai sofrer o tempo todo sabendo que ainda precisa estudar aquela matéria tediosa;

 

floating_guruReserve um tempo para relaxar. Embora a dedicação seja necessária, ter um momento para recarregar as energias e descansar a mente é fundamental, já que a concentração não dura para sempre. Encontre algo que lhe agrade, que faça parte de seu lúdico, como ouvir música, caminhar, entre outras atividades. Isso fará com que seus estudos rendam mais quando voltar para eles.

 

Prontos para colocar as dicas em prática?

 

Bons estudos e até a próxima!

Profª Aline