Olá, concurseiro!

Hoje vamos falar sobre dois aspectos importantíssimos da redação, mas que, muitas vezes, acabam sendo relegados tanto pelos candidatos como por nós professores: a coletânea e o conhecimento de mundo. Em geral, falamos muito sobre abordar o tema, cumprir o gênero e empregar a norma culta, mas não falamos muito sobre a importância da coletânea e do conhecimento de mundo para a redação.

A coletânea, texto-fonte ou textos de apoio, como chamam algumas bancas é aquele conjunto de textos trazidos pela prova de redação para auxiliar o candidato a abordar o tema. Eles normalmente contextualizam a questão da proposta e dão elementos que podem ser trabalhados pelo candidato como um apoio à sua argumentação.

Um bom exemplo é a apresentação de um gráfico que mostra os resultados de uma pesquisa. Através desse gráfico, o candidato pode conhecer melhor o problema a ser discutido e, principalmente, pode citar algum de seus dados no texto para fundamentar um argumento. Por exemplo, você está dizendo no texto que não adianta diminuir a maioridade penal para 16 anos, pois a prisão não recupera os detentos e eles continuam a cometer crimes. Para sustentar essa afirmação, você pode apresentar um dado de uma pesquisa que mostra quantitativamente que a maioria dos presos quando sai da cadeia volta a cometer crimes, o que prova que prender não é um bom sistema de reduzir a criminalidade. Outra prova para o mesmo argumento é o alto índice de criminalidade que o Brasil tem mesmo tendo uma das maiores populações carcerárias do mundo.

Porém, nem todas as bancas de concurso apresentam coletânea ou muitas vezes ela é bastante pequena (uma imagem, um verbete, uma citação), o que pode não ajudar muito aquele candidato que não conhece o tema solicitado. Nesse caso, o conhecimento de mundo entra em cena com um importante papel: fundamentar a argumentação de texto. O princípio é o mesmo do uso da coletânea, a diferença é que o conhecimento de mundo é algo que você já leva com você para a prova, é algo que você constituiu ao longo de toda a sua formação e, principalmente, de sua preparação para o concurso.

Não pense que esses critérios são antagônicos, que ou você usa um ou usa outro, não. Pelo contrário, eles estão interligados, pois, mesmo que a prova traga uma coletânea rica, o seu conhecimento de mundo fará diferença no modo como você irá interpretá-la e nas relações que irá estabelecer. Portanto, coletânea e conhecimento de mundo trabalham juntos na construção de uma argumentação bem fundamentada e de um texto coerente.

Este é outro ponto importante, a coerência. O conhecimento de mundo diz respeito a tudo aquilo que conhecemos e que em grande parte é partilhado com as outras pessoas da sociedade na qual estamos inseridos. Portanto, tome cuidado com o que irá afirmar porque os seus leitores perceberão se for algo falso, que não corresponde à realidade, ou algo ingênuo, que não faz sentido, etc. Assim, o conhecimento de mundo é a régua, o parâmetro que guia a coerência do texto.

Para que você tenha um bom conhecimento de mundo, leia bastante, informe-se, veja filmes e discuta com seus amigos o que você aprende de novo ou os fatos que estejam em destaque na mídia. Isso permite que você conheça cada vez mais coisas e que aprenda a estabelecer relações entre esses conhecimentos, o que dará a você mais segurança e repertório para escrever a redação na hora da prova.

Bons estudos e até a próxima!

Profa. Danusa