Texto 1

Os fatores determinantes do envelhecimento, a nível da população de um país, são, fundamentalmente, ditados pelo comportamento de suas taxas de fertilidade e, de modo menos importante, de suas taxas de mortalidade. Para que uma população envelheça, é necessário, primeiro, que haja uma queda da fertilidade; um menor ingresso de crianças na população faz com que a proporção de jovens, na mesma, diminua. Se, simultânea ou posteriormente, há também uma redução das taxas de mortalidade (fazendo com que a expectativa de vida da população, como um todo, torne-se maior), o processo de envelhecimento de tal população torna-se ainda mais acentuado. Tal processo é dinâmico, estabelece-se cm etapas sucessivas e é, comumente, conhecido como “transição epidemiológica ou demográfica”. (…) 

O envelhecimento da população brasileira é um fato irreversível, e que deverá se acentuar, no futuro próximo imediato. O impacto desta nova “ordem demográfica” é imenso — sobretudo, quando se observa que os fatores associados ao subdesenvolvimento continuarão se manifestando por um tempo difícil de ser definido. Não estamos, portanto, diante de uma situação como a europeia quando o envelhecimento de suas populações ocorreu, a maioria dos países europeus já apresentava níveis socieconômicos que proporcionavam, a grande parte de suas populações, condições de vida satisfatórias. Com isso, os problemas consequentes ao envelhecimento populacional puderam ser encarados como prioritários. Nem por isso tem sido fácil resolvê-los. O desafio para nós é, portanto, considerável. O envelhecimento de nossa população está se processando em meio a condições de vida, para parcelas imensas da população, ainda muito desfavoráveis. O idoso não é uma prioridade, como pode ser visto nos países industrializados. No entanto, eles estão aí para ficar e em proporções crescentes, passando de 6% da população, em 1980, para mais de 13% previstos para o início do Século XXI.

(…)

O envelhecimento da população brasileira necessita, de imediato, de um diagnóstico de saúde a níveis nacional e regional, que possa conduzir a propostas realistas. As intervenções que daí surgirem, deverão então, ser avaliadas e redirigidas. Há uma necessidade premente de métodos inovadores e imaginativos, que possam contribuir para uma atenção ao idoso, em bases humanísticas e, ao mesmo tempo, compatíveis com a realidade socioeconômica do país. O objetivo final deve ser sempre a manutenção, na comunidade, do maior número possível de idosos, contribuindo, ativamente, para ela, e mantendo seu grau de autonomia (e dignidade) pelo maior tempo possível. Este debate se impõe, de imediato, para quantos possam estar interessados em Saúde Pública, em nosso país. (Adaptado de KALACHE, A. Cad. Saúde Pública, vol.3, n.3, 1987)

 

Texto 2

tabela

(Adaptado de MOREIRA, M.M. Envelhecimento da população Brasileira: aspectos gerais. In: http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/outraspub/envelhecimento/Env_p25a56.pdf. Acesso em 31/10/2016)

 

Texto 3

De início chama a atenção a continuada redução do tamanho absoluto da população menor de 15 anos, e, como consequência, o declínio de sua participação relativa. Os jovens, que nos anos 90 eram quase 50 milhões e representavam 31,8% da população brasileira, passam a apresentar taxas de crescimento negativas, de tal forma que, em 2020, seriam 43,1 milhões (21,5% do total nacional) e, 35,8 milhões, em 2050 (17,2% do contingente humano do Brasil). (…)

A redução da população jovem agudiza as questões relacionadas à previdência social, principalmente aquelas relacionadas a como as menores gerações futuras, nascidas sob os baixos níveis de fecundidade, se comportarão frente ao pacto social de financiarem as demandas postas pelas muito numerosas gerações anteriores, nascidas quando os níveis de fecundidade eram elevados. (Adaptado de MOREIRA, M.M. Envelhecimento da população Brasileira: aspectos gerais. In: http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/outraspub/envelhecimento/Env_p25a56.pdf. Acesso em 31/10/2016)

 

Com base no seu conhecimento de mundo e nos textos acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

Os desafios sociais em relação ao envelhecimento da população brasileira

 

Clique aqui para enviar sua redação para correção profissional!