Texto 1

(…)as relações econômicas adquiriram um caráter profundamente emocional e as românticas se definem frequentemente por meio de modelos econômicos e políticos de negociação e intercâmbio.

(Eva Illouz) (Localizado em http://brasil.elpais.com/brasil/2016/12/30/cultura/1483093885_300079.html. Acesso em 09/02/2017)

 

Texto 2

(…)Para esses momentos em que o sujeito contemporâneo tem de se manter em situações muito instáveis em que conta somente consigo mesmo, os auxílios que lhe são oferecidos chegam muitas vezes sob a forma de livros de autoajuda e superação. Esse recurso biblioterapêutico é analisado pela argentina Vanina Papalini em seu estudo Garantías de Felicidad (Garantias de Felicidade). Papalini argumenta que o corpo gera sintomas relacionados com a sociedade a que pertence e que, no momento presente, o contraste com os frequentes discursos sociais que tratam do prazer e das difíceis condições de vida de muitos indivíduos cria uma lacuna que também serve como um nicho de mercado para esses livros, que exercem um verdadeiro trabalho terapêutico para gerar algo de “felicismo” no indivíduo, como denomina a jornalista espanhol Toño Fraguas, e contra o qual se posiciona em seu livro ¿Existe la Felicidad? (A Felicidade Existe?). “O que me leva a escrever é o fato que a felicidade tenha se tornado um negócio”, afirma Fraguas. (Localizado em http://brasil.elpais.com/brasil/2016/12/30/cultura/1483093885_300079.html. Acesso em 09/02/2017)

 

Com base nos textos acima e no seu conhecimento de mundo, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

A felicidade como um negócio: quais as implicações para a sociedade contemporânea?

 

Clique aqui para enviar sua redação para correção profissional!