Texto 1

De acordo com o levantamento “A relevância do futebol como aspecto pedagógico no ensino fundamental (5º série à 8º série)”, do Grupo de Pesquisa em Educação Física Escolar da Faculdade de Educação, da Universidade de São Paulo (USP), o futebol pode desenvolver na criança as capacidades de se sociabilizar, entender e respeitar regras, além de compreender o significado de trabalho em equipe e esforços para atingir resultados, podendo os tornar cidadãos críticos, questionadores. (Disponível em http://www.maisequilibrio.com.br/bem-estar/futebol-pode-ajudar-na-educacao-e-formacao-das-criancas-7817.html. Acesso em 11 jun. 2018)

 

Texto 2

O futebol é algo muito presente em nossas vidas. Mesmo não sendo praticante da modalidade é quase impossível no Brasil, ficar alheio ao esporte bretão. No nosso cotidiano, nos deparamos com notícias que variam entre lances de jogo até a vida pessoal de alguns jogadores, vinculadas nas diversas mídias; produtos esportivos (uniformes, revistas, aplicativos, jogos online, videogames, miniaturas de estádios etc) são comercializados para atender ao diversificado mercado de consumidores, além de produtos habituais que levam a marca do time do coração; em ambientes públicos e particulares há comentários e trocas de opinião sobre os jogos dos campeonatos disputados no Brasil como também dos jogos disputados em campos particulares, quadras alugadas em reunião com os amigos (as tradicionais peladas), sobretudo em dias anteriores e posteriores às disputas. Além disso, quem nunca fez “corpo mole” para cumprir uma tarefa, “tirou o pé da dividida” ao perceber que não teria êxito na situação, “embolou o meio campo” por não conseguir expressar sua ideia de forma que todos a entendessem ou “pisou na bola” com alguém de quem se gosta, enfim, essas são apenas algumas das expressões corriqueiras do futebol brasileiro presentes em nosso vocabulário. Também é comum ouvirmos o jargão que “somos duzentos milhões de técnicos de futebol”, ou seja, todos se veem na condição e direito de opinar sobre escalações e sistemas táticos dos seus respectivos times, bem como os destinos do futebol no Brasil. Assim, podemos perceber que são inúmeras as situações em que o futebol se faz presente em nossa sociedade e, na maioria das vezes, nem nos atentamos para isso, por ser algo naturalizado em nossa cultura.

Para o antropólogo Roberto DaMatta, um dos primeiros estudiosos do futebol no âmbito das ciências humanas e sociais, “o futebol praticado, vivido, discutido e teorizado no Brasil seria um modo específico, entre tantos outros, pelo qual a sociedade brasileira fala, apresenta-se, revela-se, deixando-se, portanto descobrir” (1). Além disso, constitui-se como referência de lazer para as várias classes sociais, nas diversas regiões brasileiras, independente do gênero e da idade, seja no âmbito da prática ou como torcedor. O futebol apresenta-se, assim, como um fenômeno social, não só no Brasil, mas em muitos países, fazendo dele um dos esportes mais populares no mundo. Inclusive, os registros apontam que existem mais países filiados à Fédération Internationale de Football Association (Fifa) do que à Organização das Nações Unidas (ONU). (SILVA, S. R., CAMPOS, P. A. F. Futebol e Educação Física ha escola: possiblidades de uma relação educativa. In: Cienc. Cult. Vol.66, n.2. São Paulo, jun. 2015.)

O futebol é um esporte adorado por muitos brasileiros. Porém, ele não serve apenas para entreter a população, ele também é relevante para a educação. Com base nos seus conhecimentos de mundo e nos textos acima, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

Como o futebol pode contribuir para a educação?

Clique abaixo para enviar sua redação para correção profissional!