Olá, concurseiro!

Um ponto que sempre insisto nas correções que faço e nos textos que escrevo é que o tipo de texto pedido normalmente nos concursos públicos é a dissertação argumentativa. Sempre destaco esta palavra pois, em geral, os alunos acabam fazendo apenas uma dissertação expositiva, ou seja, descrevem um problema ou uma dada realidade, mas não argumentam sobre ela, não mostram qual é o seu ponto de vista a respeito.

Considerando esta dificuldade que acomete boa parte dos alunos, hoje iniciamos uma série de textos para mostrar o caminho não só para a argumentação, mas para uma boa argumentação, pois é possível argumentar usando apenas o senso comum, o que também observamos nos textos dos alunos. Usar o senso comum na argumentação torna o texto fraco e ineficiente em seu objetivo: convencer o leitor sobre um dado ponto de vista.

Um texto que tem uma boa argumentação é aquele em que, o leitor, mesmo não concordando com o ponto de vista defendido no texto, percebe a relevância de se considerar os argumentos apresentados, pois eles são consistentes e fazem sentido. É isso que você deve ter em mente para construir uma boa argumentação no seu texto.

Mas então, que caminho seguir para conquistar este objetivo? Vou te mostrar um caminho com três passos, sendo o primeiro deles a construção de um repertório.

Pode ser que o seu professor, ao corrigir seu texto, tenha dito que a abordagem do tema está superficial. Isso acontece porque, apesar de estarmos imersos em um mar de informação e produção de conhecimento, por inúmeras razões, muitas pessoas acabam gastando seu tempo com outras atividades e deixam de alimentar o seu repertório. Aí, ao escrever um texto, elas não terão recursos, ou seja, informações relevantes, interessantes, consistentes, lógicas, aprofundadas para discutir uma questão.

Outro problema é que as pessoas não têm o hábito de assistir a debates, confrontar textos polêmicos, discutir questões mais complexas, o que faz com que não exercitem a reflexão mais aprofundada e, principalmente, a habilidade de argumentar.

Por isso, o primeiro passo para desenvolver uma boa argumentação no seu texto é alimentar o seu repertório. De que forma? Lendo diversos tipos de textos sobre os mais variados assuntos (história, geografia, atualidades, arte, ciência, saúde, meio ambiente, política, etc.). Você pode também ver filmes, programas de TV (que não sejam apenas entretenimento, mas que tenham algo a acrescentar ao seu repertório), debates, vídeos na internet, telejornais, programas de entrevista, etc.

Tudo isso irá fazer com que você amplie o seu conhecimento sobre diversos assuntos, permitindo que você tenha algo realmente relevante a dizer no seu texto, e não apenas senso comum. Como o próprio nome diz o senso comum é comum, é algo que se repete e que não tem profundidade; é algo que todos sabem e que não acrescenta nada ao texto. É a trilha oposta ao caminho da boa argumentação.

No mês que vem traremos mais um passo para você trilhar este caminho.

Bons estudos e até a próxima semana!

Profa. Danusa