Olá, concurseiro!

Hoje vamos falar de um tópico bastante polêmico quando o assunto é língua: a ortografia. Você deve ter ouvido ao longo de toda a sua formação escolar que é extremamente importante escrever as palavras corretamente, inclusive, deve ter perdido alguns pontos em provas e trabalhos por escrever um z no lugar de s, ou quem sabe um r no lugar do l. Ou, pior ainda, deve ter ouvido comentários do tipo: “Fulano é burro, escreve tudo errado!”.

Mas, afinal, será que ortografia tem alguma coisa a ver com inteligência? Será que escrever algumas palavras com a grafia errada pode causar uma incompreensão na comunicação? Será que escrever corretamente é o mesmo que escrever bem? São essas questões que iremos discutir a partir de hoje.

Em primeiro lugar, devemos dizer o que é ortografia. Segundo o dicionário Aulete digital, ortografia é um conjunto de regras da gramática que orientam como escrever as palavras e utilizar corretamente os sinais de pontuação e acentuação. Ou seja, a ortografia nada mais é do que uma padronização da grafia das palavras. Nesse sentido, o único “pecado” que uma pessoa que escreve uma palavra de forma errada comete é o de não obedecer à norma, mas não de não ser inteligente. E de onde vem então esse preconceito?

A ortografia, assim como a gramática, é aprendida na escola. Você pode observar que uma criança que está aprendendo a escrever irá escrever as palavras de acordo com o que ela ouve, afinal, por que raios a palavra casa é escrita com s, se dizemos ‘kaza’, com som de z? É a escola que mostra à criança as convenções de escrita da língua portuguesa, a sua padronização. Assim, as pessoas que não frequentaram a escola fatalmente cometerão muitos erros de ortografia, provavelmente são pessoas mais simples e pobres, que não tiveram a oportunidade de estudar. Somando pobreza e baixa escolaridade, é feita uma associação entre falta de estudo e falta de inteligência, o que é um grande equívoco! Temos inúmeros exemplos de pessoas que fizeram grandes coisas, mesmo tendo pouco estudo. Então este é um primeiro preconceito que é importante ser quebrado.

Mas não são só essas pessoas que têm problemas com ortografia. Uma das grandes queixas das empresas hoje é a dificuldade em selecionar candidatos que dominem a língua portuguesa escrita e você pode ter certeza de que um dos aspectos avaliados é a ortografia. Esse problema ocorre não só com pessoas que têm o ensino médio, mas também com pessoas que têm ensino superior. O que explicaria esse “déficit” então? A falta de prática de leitura e escrita. Muitas pessoas acham que, por não trabalharem em áreas que exigem a leitura e escrita de textos, não precisam ler tanto, mas isso é também um equívoco. Ler é fundamental, não importa a área profissional, pois a leitura amplia os nossos horizontes e sempre nos ensina algo novo.

Inclusive, é por meio da leitura que realmente aprendemos ortografia. Ficar decorando as regras não é muito eficiente, é mais importante ler bastante e ler tipos de textos variados para ampliar o léxico e memorizar a grafia correta das palavras.

Tudo o que dissemos aqui não invalida a importância de se conhecer e aplicar a ortografia padrão, mas desmistifica o poder que ela tem e a coloca em seu devido lugar, o da norma, da padronização, e não o da inteligência ou perspicácia.

Você percebeu que só uma das questões colocadas aqui foi respondida. Na semana que vem continuaremos com este assunto.

Bons estudos e até a próxima semana!

Profa. Danusa