Texto 1

“Coltan” é a combinação de duas palavras que correspondem aos respectivos  minerais: a columbita e a tantalita, dos quais se extraem metais mais cobiçados do que o ouro. Se tomarmos em conta que estes metais são considerados altamente estratégicos e agregarmos que 80% das suas reservas encontram-se na República Democrática do Congo, começaremos a vislumbrar porque há uma guerra neste país desde o dia 2 de agosto de 1998, porque dois países africanos como Ruanda e Uganda ocupam militarmente parte do território congolês, e porque já morreram mais de dois milhões de pessoas. O coltan é essencial para as novas tecnologias, estações espaciais, naves tripuladas que se lançam no espaço e às armas mais sofisticadas.

Esta guerra constitui a maior injustiça, em escala planetária, que se está cometendo contra um Estado soberano. Nas últimas décadas a história nos ofereceu tristes exemplos de assalto e até da ocupação militar de um país independente. O Iraque invadiu o Kuwait, e os EUA fizeram a mesma coisa em Granada, ainda que com resultados distintos. Bombardearam-se países como Afeganistão e Iraque, amparados por um duvidoso respaldo da ONU. Mas o que não havia acontecido desde a invasão de países europeus pela Alemanha de Hitler era a ocupação pura e dura de um território para aniquilar  milhares de cidadãos e explorar os recursos minerais do país ocupado. É isso o que está acontecendo na R. D. do Congo. O que adiciona gravidade a esta pirataria é a passividade da comunidade internacional. Para aqueles a quem dói toda a opressão, assusta este desprezo por uma parcela da humanidade, duplamente ultrajada. (Adaptado de http://latinoamericana.org/2003/textos/portugues/Coltan.htm. Acesso em 21/05/2017)

 

Texto 2

De acordo com o Programa da ONU para o Meio Ambiente (PNUMA), pelo menos 40% de todos os conflitos internos nos últimos 60 anos estão associados ao aproveitamento dos recursos naturais, sejam de alto valor como madeira, diamantes, ouro e petróleo, ou os escassos, como a terra fértil e água.

Na Somália, por exemplo, estima-se que o comércio ilegal de carvão vegetal representa um faturamento anual de até 384 milhões dólares para os insurgentes e grupos terroristas. Além disso, os conflitos envolvendo recursos naturais possuem maior possibilidade de recair na violência.

“Os conflitos armados estão se tornando cada vez mais complexos e exigem soluções que abordem a raiz das causas”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, em sua mensagem ao Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Tempos de Guerra e Conflito Armado, nesta quinta-feira (6). (Adaptado de https://nacoesunidas.org/onu-40-de-todos-os-conflitos-internos-dos-ultimos-60-anos-estao-associados-a-recursos-naturais/. Acesso em 21/05/2017)

  

Texto 3

Conflitos ao redor do mundo estão sendo travados por causa de recursos naturais ou estão sendo alimentados pelos lucros da exploração desses recursos. Estima-se que o Estado Islâmico, por exemplo, tenha faturado um milhão de dólares por dia [2,8 milhões de reais] com a venda de petróleo no fim do ano passado, o que o torna um dos mais ricos grupos extremistas da história.

De maneira similar, o conflito na República Democrática do Congo (RDC) continuou por anos à medida que o Estado e outras forças políticas e militares lutavam pelo acesso à riqueza mineral do país.

Em ambos os casos, é claro, o primeiro impacto foi sobre a população civil. Contudo, a despeito das causas e consequências de longo prazo desta exploração de recursos naturais – isto é, a perpetuação da guerra e da violência –, os esforços jurídicos quase nunca se focam em identificar e processar os responsáveis por estes crimes.

Existe uma ferramenta jurídica para ser aplicada nestas circunstâncias: a tipificação do crime de guerra de pilhagem, comumente definido como roubo durante a guerra. No entanto, esta opção, embora tenha sido internacionalmente acordada há mais de um século, não é utilizada há décadas. (Adaptado de http://operamundi.uol.com.br/conteudo/samuel/39449/ao+ignorar+apropriacao+de+recursos+naturais+julgamentos+de+crimes+de+guerra+negligenciam+origem+de+conflitos.shtml. Acesso em 21/05/2017)

 

Com base nos textos acima e no seu conhecimento de mundo, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

A relação entre riquezas naturais e conflitos internos

 

Clique aqui para enviar sua redação para correção profissional!