Texto 1

 

(Disponível em https://www.revistas.usp.br/revusp/article/viewFile/13584/15402. Acesso em 08/10/2017)

 

Texto 2

Falta de apoio à pesquisa científica é entrave para desenvolvimento de produtos

O fertilizante que aumenta a absorção de nutrientes das plantas e otimiza a produção de alimentos criado pela professora do departamento de Botânica Luzia Valentina Modolo existe fora do Brasil e é importado a preços altos por agricultores brasileiros. 

Sem financiamento para testes em larga escala, ainda não há previsão de quando o produto chegará ao mercado por aqui. “É difícil porque comprar fora fica caro para o agricultor e, claro, o custo é repassado ao consumidor final”, explica Luzia. (Disponível em http://hojeemdia.com.br/horizontes/falta-de-apoio-%C3%A0-pesquisa-cient%C3%ADfica-%C3%A9-entrave-para-desenvolvimento-de-produtos-1.552787. Acesso em 08/10/2017)

 

Texto 3

Trecho da entrevista de Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências à BBC:

BBC Brasil – E essa falta de continuidade gera prejuízos para a economia do país no futuro, a seu ver?

Davidovich – É importante o país ter uma dianteira em pesquisas para fazer economia no futuro. Faremos economia por não ter que pagar pelas patentes e ganharemos mais recursos porque teremos qualificado a nossa pauta de exportações.

É questão até de soberania nacional e econômica. Quando você aumenta o valor agregado dos produtos exportados, você passa a ter mais controle sobre a sua própria economia.

Se você considera, por exemplo, a agricultura, que é uma fonte de riqueza tão grande para o país. Parte disso é graças à ciência brasileira, que descobriu um processo para aumentar a produtividade da soja em quatro vezes. Na mesma superfície de terra, você colhe quatro vezes mais grãos. Algumas décadas atrás, soja não florescia no Mato Grosso. Com a ciência brasileira, passou a ser uma das grandes riquezas do Estado.

Mas hoje, centros de pesquisa de prestígio nessa área, como a Universidade de Viçosa e a Embrapa, estão com dificuldades. Há duas décadas, a Embrapa contava com equipamentos para pesquisa que eram o estado da arte. Hoje estão defasados, e a própria agricultura está ameaçada pela falta de renovação de equipamentos e de investimentos em pesquisa.

Na África os avanços brasileiros na produção de soja já são conhecidos, e a China está comprando muita terra no continente. E se passarem importar soja de lá, que é muito mais perto?

Se não houver inovação constante até na área de commodities, estamos jogando um jogo muito arriscado. Se você para de atualizar a produção com ciência e tecnologia, ela fica obsoleta. Porque é uma corrida, e temos que nos atualizar sempre. (Disponível em http://www.bbc.com/portuguese/brasil-40504128. Acesso em 08/10/2017)

 

Com base nos textos acima e no seu conhecimento adquirido ao longo da sua formação, escreva um texto dissertativo-argumentativo sobre o seguinte tema:

As consequências geradas pela falta de investimento na ciência para a economia do Brasil

 

Clique aqui para enviar sua redação para correção profissional!