Olá, concurseiro!

Hoje vamos falar um pouco sobre um importante aspecto da dissertação argumentativa: a clareza. É certo que em geral qualquer tipo de texto deve ser claro para que o leitor possa compreendê-lo. Mesmo assim, há certos tipos de texto que permitem um certo grau de obscurantismo. É o caso dos textos literários, por exemplo, nos quais é permitido, e até mesmo desejado, um certo mistério e um pouco de ambiguidade para que o leitor possa ficar mais livre para interpretar ou chegar sozinho a uma interpretação.

Mas este não é o caso da dissertação. Lembre-se, a dissertação é um texto argumentativo, no qual deve-se defender um ponto de vista a partir de argumentos. É evidente que os textos podem ser interpretados de diferentes formas, mas na dissertação é fundamental que estejam explicitados os raciocínios do autor do texto para que o leitor possa seguir o pensamento desenvolvido na defesa de uma tese.

Tudo isso que estou falando parece bastante óbvio, não é? Porém, observo muito, nas redações que corrijo, a falta de clareza. Há vários motivos que podem explicar esse descuido. Um deles diz respeito ao fato de que os alunos costumam tratar a dissertação como uma tarefa escolar, uma avaliação que lhe permitirá ingressar no serviço público. Este pensamento está errado em parte e, se você pensa assim, procure tratar a dissertação de outra forma. Você deve tratar a dissertação como uma avaliação no momento de estudá-la e de apreender os requisitos da banca, mas na hora da escrita você deve pensar nela como um texto autônomo.

Nesse sentido, você deve esquecer que a pessoa que vai ler o seu texto conhece o enunciado da prova. Pense que você está escrevendo para um leitor que não conhece o assunto que você irá abordar. Isso não significa que você tenha que explicar tudo nos mínimos detalhes sempre, afinal, a dissertação é um texto bem curto, de apenas 30 linhas, então a concisão e a síntese também são importantes. Mas você precisa apresentar o assunto, contextualizar o leitor, explicar as afirmações que faz, justificar, dar exemplos, etc., e não sair argumentando sem sequer dar um contexto ou então fazer uma afirmação sem mostrar ao leitor o raciocínio que fez com que você chegasse a ela.

Você pode estar se perguntando: “Mas como vou estudar ou praticar a clareza? Parece algo tão abstrato…”. Parece, mas não é. Uma dica para você exercitar a clareza é direcionar seus argumentos pelos seguintes questionamentos: Como? Por quê? De que forma? Qual é o resultado disso? Isso implica em quê? Isso se explica por quê?, entre outros. Considerando essas questões, você conseguirá desenvolver ideias claras, e com certeza o leitor compreenderá o percurso dos seus argumentos e tenderá a concordar com você, ou ao menos admitir que a sua argumentação faz sentido.

Uma última dica importante. Na sua preparação para o concurso, procure dar um tempo para ler a sua redação, pois, quando a lemos logo depois de a escrevermos, acabamos achando tudo muito claro, pois as ideias ainda estão fresquinhas na nossa cabeça. Fazer isso é muito bom para quem quer estudar redação de forma eficaz! Porém, se você deixar para lê-la com um distanciamento de tempo, conseguirá perceber os trechos que não estão claros ou que causam dificuldade de compreensão, e isso o ajudará a aprimorar a escrita nos próximos textos.

Parece mais fácil agora? Então bons estudos e mãos à obra!

Profa. Danusa